Quinta-feira, 28 DE Maio 2009

 

colltymorenewcastle450.jpg

 

Stan Collymore foi um futebolista inglês que em 1995 se tornou na mais cara transferência de sempre do futebol inglês.

 

Avançado explosivo, de remate fácil e com grande capacidade técnica, Stan Collymore tinha tudo para se tornar numa lenda do futebol inglês.

Infelizmente para ele, e apesar do sucesso que chegou a alcançar, Collymore não atingiu o nível esperado.

 

Nascido a  22 de Janeiro de 1971, Stan Collymore iniciou a sua carreira no Crystal Palace, corria o ano de 1990.

Apesar de não ter jogado muito, o tempo que passou no Palace foi fundamental para o seu desenvolvimento enquanto jogador e enquanto avançado.

Nesse clube, Collymore teve como colegas de equipa dois avançados que fizeram carreira na Premier League e com quem  aprendeu bastante...Ian Wright e Mark Bright.

Durante a sua estadia no Crystal Palace, que decorreu entre 1990-1992, Stan Collymore participou em 20 jogos, marcando 1 golo. 

 

O clube seguinte na carreira de Collymore foi o Southend United, da First Division (equivalente à nossa 2.ª Liga ou Liga Vitalis, como agora é chamada).

A precisar de jogar, Collymore encontrou o local ideal para mostrar as suas qualidades.

Na época de 1992/1993, marcou 15 golos em 30 jogos e deu nas vistas.

O Southend United consegiu a manutenção, e Stan Collymore foi tranferido, por 2 milhões de libras, para o Notingham Forrest.

 

O Forrest, clube mítico de inglaterra (para quem não sabe, venceu, sob o comando do não menos mítico treinador Brian Clough, 2 Taças dos Campeões Europeus no início da década de 80), tinha acabado de descer de divisão, mas queria voltar rapidamente à Premier League.

Em grande parte graças aos golos de Collymore, no final da época de 1993/1994, o Forrest estava de volta ao convívio dos "grandes".

Apesar de já ter efectuado alguns jogos ao serviço do Crystal Palace, a época de 1994/1995 ia ser a sua primeira temporada a sério na Premier League e Stan Collymore deu espéctaculo...marcou 22 golos, alguns dos quais através de fantásticos remates de fora da área, sendo uma das figuras de maior destaque da Premier League e a principal da excelente campanha do Forrest, que terminou o Campeonato em 3.º lugar.

Após 2 épocas e 41 golos em 65 jogos, era altura de partir para um clube maior e esse clube foi o Liverpool.

 

Em junho de 1995, Stan Collymore assinou pelo Liverpool, numa transferência no valor de 8,5 milhões de Libras, um recorde britânico à época. 

Tendo marcado 1 golo no jogo da sua estreia, contra o Sheffild Wednesday, Collymore teve uma primeira época muito boa, relegando o carismático Ian Rush para o banco de suplentes e formando uma grande dupla de ataque com Robbie Fowler.

A sua boa forma valeu-lhe a chamada à Selecção Inglesa, onde, entre 1995 e 1997, efectuou 3 jogos, não tendo marcado qualquer golo.

Na sua segunda época em Anfield, as suas exibições não foram tão boas e começaram a surgir problemas relacionados com o seu comportamento fora do campo.

No final da temporada 1996/1997, após apenas duas épocas no clube, nas quais marcou 28 golos em 63 jogos, Stan Collymore foi transferido para o Aston Villa (o clube de que era adepto em criança) por 7 milhões de Libras, naquilo que foi a maior venda do Liverpool e a maior aquisição do Aston Villa, até então.

Sem o saber, Stan Collymore estava a entrar, com apenas 26 anos, na fase descendente da sua carreira.

 

Entre 1997 e 2000, Collymore efectuou apenas 46 jogos, marcando uns míseros 7 golos ao serviço dos "Villans" (em 1999, foi emprestado ao Fulham durante 3 meses, não tendo marcado qualquer golo, em 6 jogos).

Uma das poucas boas recordações do seu período no Aston Villa foi o facto de se ter tornado no terceiro jogador deste clube a marcar um hat-trick numa competição europeia.

Foi durante estas épocas que Collymore começou a ter problemas com depressões, chegando, inclusivamente, a ser internado numa clínica.

 

Entre 2000 e 2001, Stan Collymore conheceu três clubes.

Primeiro, o Leicester, para onde se transferiu a "custo zero" do Aston Villa, e onde se manteve até Outubro de 2000, marcando 5 golos em 11 jogos.

Seguiu-se o Bradford e 2 golos em 7 jogos.

Em Janeiro de 2001, Stan Collymore assinou pelo Oviedo...o último clube que representou na sua carreira.

Recebido em euforia por 1.500 adeptos, Collymore não marcou qualquer golo nos 3 jogos efectuados, anunciando, em Março de 2001, que se ia retirar...tinha apenas 30 anos.

 

Feito o balanço da sua carreira, chega-se à conclusão que Stan Collymore ficou muito aquém daquilo que era expectável.

Um jogador com o seu talento deveria ter chegado mais longe, mas Collymore foi vítima de si próprio, optando por um estilo de vida pouco compatível com a carreira de futebolista.

 

Actulamente, Stan Collymore comenta jogos de futebol para televisões inglesas e escreve uma coluna semanal no Daily Mirror.

 

publicado por Joca às 20:48
Quarta-feira, 27 DE Maio 2009

 

Aproveitando o facto de o meu amigo Joca estar a publicar Post´s relativos a estádio míticos, hoje venho aqui falar sobre o Estádio Nacional. Esta referência também se justifica porque se aproxima a final da taça de Portugal a ser aí disputada. Aliás mais por isso do que por se tratar de um estádio mítico…
Na verdade de Estádio Nacional só mesmo o nome. Não há qualquer outra justificação, dadas as miseráveis condições existentes no estádio icon do regime Salazarista. E digo isto com toda a certeza, pois já vivi a experiência de lá ver uma final da Taça. Em Portugal, e depois do Euro 2004 existem pelo menos 10 estádios (nem precisamos de falar dos novos) com condições para a realização de jogos de futebol, bem como consições de segurança incomparavelmente melhores que este estádio também conhecido como estádio de Oeiras.  
Por outro lado, se de facto este estádio reúne todas as condições para um bom espectáculo, porque razão a Selecção Nacional não disputa os seus jogos lá?? Ou pelo menos ou treinos, porque não faz os estágios naquelas instalações??
Na verdade não há uma única razão para se manter esta ridícula tradição de se jogar a final da Taça de Portugal, a 2º competição mais importante do panorama futebolístico naquelas instalações. É uma evidência tão clara que já nem o presidente da Federação Portuguesa de Futebol a tenta iludir, reconhecendo-a, lamentando-a, mas aceitando-a como uma inevitabilidade.
De resto, a falta de condições do Estádio Nacional para receber a final da Taça de Portugal é uma evidência tão evidente que, tenho cá para mim, se não fosse Pinto da Costa a reclamar a mudança de palco todos os anos, a coisa já seria consensual. Afinal, em Portugal qualquer coisa é melhor do que admitir que Pinto da Costa possa ter razão, não é?  
Mas continua-se a levar o tão típico garrafão de vinho, o farnel, e a urinar no pinheiral, que os (in)responsáveis irão continuar a assobiar alegremente para o ar.
Até breve,
 
publicado por AR às 14:45
Domingo, 24 DE Maio 2009

Estão decididas as despromoções.. Descem o estreante Trofense e o ex-campeão nacional Belenenses! O Rio Ave safou-se depois de várias jornadas pelos últimos lugares, bem como o Setúbal, que também só descansou depois do apito final..

Tenho pena dos clubes que desceram..
Por um lado, desce um clube histórico, que não só já foi campeão nacional, mas que é o clube com mais presenças na primeira liga após os três grandes.
Por outro lado, desce um pequeno clube que nos últimos anos tem crescido imenso graças a uma gestão cuidada, ponderara e bem estruturada, que lhe permitiu ir subindo de escalão em escalão sem se endividar nem cometer loucuras financeiras.
Em contrapartida, ficaram clubes como o Estrela ou o Setúbal que sistemática e repetidamente têm tido salários em atraso, época após época. O caso da equipa da Amadora é quase chocante, como pode uma equipa competir uma época inteira sem pagar salários aos seus jogadores? Esses bravos fizeram uma época extraordinária e mereceram o prémio da permanência, mas o clube merecia ser severamente castigado! Mas se a equipa da Amadora quase não tem receitas (as poucas que deveria ter estão penhoradas para que sejam pagas as dívidas ao Estado), já a equipa de Setúbal é um caso mais estranho, uma vez que este ano participou na taça uefa, o ano passado conquistou a taça da liga e à três ou quatro anos conquistou a taça de Portugal.. Será que o clube não recebeu os prémios e as receitas destas conquistas?
Por mim, teriam descido a equipa da Amadora e de Setúbal, mas dentro dos relvados, ficou decidido que desceriam os de Belém e da Trofa.. Que tenham mais sorte no próximo ano e voltem rapidamente ao convívio com os Grandes!
publicado por Spaceship às 16:18
Sexta-feira, 22 DE Maio 2009

Segundo os dados da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, o salário médio dos jogadores na Liga Sagres cifra-se nos 14.500 euros, mas a verba cai para os 6.500 se forem retirados das contas FC Porto, Sporting e Benfica.

Adicionalmente, a média da Liga de Honra, é de uns "modestos" 2.500 euros, mesmo assim, mais de cinco salários mínimos (450 euros).

 

Embora esses valores sejam muito bons para a realidade da economia portuguesa, é preciso comparar com outras realidades para vermos o quão aliciante será jogar num clube que luta pela manutenção em Inglaterra ou Itália..

Na época passada (época 2007/2008) um jogador da Série A recebeu, em média, 87.200 euros por mês.

Já na época em curso, os 20 clubes ingleses pagaram mensalmente, em média, 91.300 euros a cada jogador.

publicado por Spaceship às 14:40
Quinta-feira, 21 DE Maio 2009

Ficheiro:Maracana.jpg
 

O Estádio Maracaña tem como nome verdadeiro Estádio Jornalista Mário Filho, em homenagem ao jornalista que se destacou no apoio à contrução do estádio, e foi inaugurado em 16 de Junho de 1950.

O nome popular (Maracaña) é oriundo do rio que cruza a Tijuca e São Cristóvão. 

 

O Maracaña foi utilizado no Campeonato do Mundo de 1950, tendo a final desse Mundial sido o jogo de futebol com a maior assistência de sempre...199.854 espectadores! 

O jogo em causa, Brasil-Uruguai, foi o mais triste capítulo da história do futebol brasileiro...a jogar em casa e perante um estádio repleto, o Brasil, depois de ter estado a vencer por 1-0, perdeu por 1-2.

Ainda hoje, essa derrota é recordada pelo povo brasileiro, sendo conhecida popularmente como o Maracanaço.

Um exemplo do impacto que essa derota teve foi o facto de a selecção brasileira ter mudado as cores do seu equipamento após esse jogo. Até então, jogava com camisola branca com gola azul e calções brancos, mas depois passou a jogar com o equipamento que ainda apresenta nos dias de hoje, ou seja, camisola amarela com gola verde e calções azuis.

 

Para além dessa final, o Maracaña foi palco de outros grandes momentos do futebol mundial, tais como o milésimo golo de Pélé, o 1.º Campeonato Mundial de Clubes FIFA, finais da Taça Libertadores da América ou finais do Campeonato Brasileiro. 

 

Actualmente, o Maracaña tem capacidade para 87.101 espectadores, sendo candidato a uma das sedes do Mundial de 2014, que será realizado no Brasil.

A intenção é que o Maracaña seja o palco da final do Mundial...se isso acontecer, junta-se ao Estádio Azteca no lote dos únicos estádios que já receberam duas finais de Campeonatos do Mundo.

 

O Maracaña tem como clubes residentes o Flamengo e o Fluminense, sendo que o Vasco da Gama e o Botafogo também o utilizam para os clássicos.

 

O jogador que mais golos marcou no Maracaña foi Zico...em 435 jogos, marcou 333 golos!

Ao serviço da selecção brasileira, o melhor marcador no Maracaña foi Pélé, com 30 golos em 22 jogos.

 

Apesar de já não ter a lotação de outros tempos (longe disso) o Maracaña continua e continuará a ser um estádio com uma aura muito especial, sendo o mais que certo palco da final do Mundial de 2014.

 

publicado por Joca às 21:07

Caros amigos, não podia deixar de transcrever umas declarações recentes de Manuel Machado. O Treinador em entrevista ao Jornal Abola, diz o seguinte:


«Respeito muito a instituição e agradeço a oportunidade de lá ter trabalhado. Agora, não escondo que me dá um certo gozo ficar à frente do mestre da táctica. Não sou convidado para palestras internacionais, não sou o técnico das reformas, não estou online, não sou o inteligente das tácticas... Apenas uso um bloco de papel e, mesmo assim, ficar à frente de alguém tão especial, talvez o Especial 2...»

publicado por lmb às 16:26
Quarta-feira, 20 DE Maio 2009

 

Meus caros,
 
A frase que dá titulo a este meu post é do Ramires, ao que parece mais um jogador contratado para o novo ciclo do Benfica. Ao que me lembro, para o 6º ou 7º novo ciclo desse clube de Lisboa desde a chegada à presidência do Zé dos Pneus.
O médio falou aos jornalistas na tarde de terça-feira, ainda antes de um desfecho nas negociações. E admitiu que quer jogar na Europa, sem revelar qualquer preferência, na altura em que se falava no Benfica e apareceu a informação e que o CSKA Moscovo também estaria na corrida, através do empresário Domingos Castro: «Preferência nenhuma, para mim tanto faz.»
«A gente trabalha em prol de crescer. Quero jogar na Europa», assumiu de resto Ramires.
 
Esta situação faz-me ainda lembrar as declarações do Di Maria quando foi apresentado também no SLB, onde referiu que era apenas a passagem para a Europa, e com o objectivo de dar o salto para um grande clube, na altura referia-se ao Chelsea.
Na verdade, e como refere o jornalista Jorge Maia,a dimensão dos clubes pode ser medida de várias formas. Há quem prefira a contagem de cabeças, há quem compare orçamentos e quem apenas ligue aos títulos. Mas há formas mais subtis de perceber a verdadeira dimensão de um clube. Em contraponto ao que já disse, o facto de um jogador como Adebayor, dos milionários do Arsenal, considerar usar o FC Porto como exemplo para dizer que não tem culpa de que existam clubes interessados nele é uma demonstração inequívoca da dimensão que os tetracampeões nacionais atingiram na Europa do futebol. Aliás, quando Cristiano Ronaldo, que já marcou a grandes equipas em grandes jogos, diz que marcar ao FC Porto o deixa muito feliz, no fundo está a fazer uma enorme vénia à equipa de Jesualdo Ferreira. Especialmente considerando que, em toda a sua carreira sénior, apenas uma vez teve a felicidade de marcar ao FC Porto.
São duas faces da mesma moeda…
 
Até Breve,
publicado por AR às 11:21
Terça-feira, 19 DE Maio 2009

 

Meus caros,
Agora que a Liga tem os primeiros lugares definidos, a análise global ficará para mais tarde, pretendo hoje demonstrar que há claramente dois pesos e duas medidas nas analises efectuadas ás diversas circinstâncias do futebol Português. E já não me refiro ás diferenças de tratamento da conhecida Comissão disciplinar, já muito discutida, refiro-me a analises de jornallistas, comentadores e bloguistas.
Antes de mais nada, convém sublinhar que todos os jogadores têm direito a um dia mau. Todos, desde os melhores aos menos bons. Eduardo guarda redes do Braga, por exemplo, teve um dia mau contra o Benfica, mas que considero que foi uma enorme felicidade para ele. Imagine-se o que não se teria dito e escrito se o guarda-redes do Braga tivesse um dia mau contra o FC Porto. Aliás, nem sequer é preciso um grande esforço de imaginação. Basta recordar o que se disse depois do Leixões-FC Porto sobre Beto, por exemplo, para perceber que até para se ter um dia mau é preciso ter sorte. Ou bom senso.
O mesmo bom senso que falta aos dirigentes que contactam o treinador do um clube rival em vésperas de um confronto decisivo para os objectivos de ambos. Mas lá está, se Jesus foi crucificado por ter calado o eventual prejuízo da sua equipa frente ao FC Porto, ninguém se atreveu a pôr-lhe uma coroa de espinhos por eventuais conversas com o Benfica na semana que antecedeu a desastrosa (para os minhotos, claro) recepção ao Benfica em Braga.
Afinal, dependendo dos intervenientes, há na análise dos factos dois pesos e duas medidas…
Até breve
publicado por AR às 22:00
Segunda-feira, 18 DE Maio 2009

 

Caríssimos,

Mais vale tarde do que nunca... mas antes de partir para mais uma divertidíssima pré-temporada (tenho apenas uma pequena paragem no Jamor) em que já começaram a despontar nomes como Jesus, Gomis ou Ramires não podia deixar de fazer um "petit" balanço desta temporada.

 

Assim,

Queria enviar os meus sinceros agradecimentos a todos os que, verbalmente ou por escrito, com maior ou menor dificuldade, me enviaram os parabéns e cumprimentos pelo IV. Um palavra de apreço em especial a todos os que, pela forma contraída e desconfortável com que o fizeram, terão mordido a língua num acto de expiação infligida.

Gostaria também de retribuir os parabéns a todos os lagartos por mais uma vitória na liguilha da 2ªcircular… se não me engano já são bicampeões neste duelo particular que tantas alegrias tem proporcionado aos vossos clubes.

Uma última palavra a todos os adeptos do benfica: Contra tudo o que se fazia prever, contra toda a euforia encarnada da última (mais uma) pré-temporada, em que contrataram o melhor treinador, o melhor director desportivo, um dos 3 melhores nº10 do mundo, o melhor médio esquerdo dispensado de 3 clubes em 3 anos, o melhor médio português a jogar no Recreativo de Huelva e o “kit-faça-você-mesmo” do Planeta Agostini para montar o avançado maravilha das Honduras, parece que lá conseguimos reeditar as distâncias de dois dígitos tão vulgares nos últimos anos… de qualquer forma, os meus parabéns pelo 3º lugar... este ano não deram muitas hipóteses ao Guimarães, Nacional e Braga!

 

Abraço Champions

 

publicado por fred às 23:49

 

Meus caros,
 
Chegou-me ao conhecimento um comunicado emitido pela Protecção civil de Lisboa. Dada a importante do seu teor, não podia deixar de partilhar. Aqui fica,
 
 “A Protecção Civil informa:

 
Este domingo terá lugar em Lisboa um simulacro da vitória do Benfica no principal campeonato de futebol português.

A exemplo do que acontece com os simulacros de grandes acidentes naturais, coordenados pela Protecção Civil, o Benfica pretende preparar os seus adeptos e a cidade para a eventualidade de voltar a ganhar o campeonato nacional de futebol
 
Este evento, onde são esperadas mais pessoas do que na última vitória do Benfica na volta a Portugal em bicicleta, obrigará ao encerramento de várias ruas em Lisboa como a 2ª circular, Av. Lusíada, Av. Liberdade e claro Marquês de Pombal. O novo Hospital da Luz também vai ser palco do simulacro com maior incidência na área de cardiologia e tratamentos de excessos de álcool

O director de comunicação do Benfica, João Gabriel, explicou o que irá acontecer: “este simulacro é muito importante para que os nossos adeptos não percam o hábito de festejar o título e para testarmos que tudo funcionará em caso de eventual futura vitória. Todo o evento será coberto pela Benfica TV mas apenas com a imagem do José Carlos Soares a relatar os acontecimentos. A saúde do presidente também exige que o vamos preparando com estes simulacros.”
 
Um pouco de humor cai sempre bem,
 
Até breve
publicado por AR às 18:25
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
15
16
17
23
25
26
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Contador de Visitas
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
....sou benfiquista " desde pequenino", ouvi o rel...
Oferecido de empréstimo ao privadosEstou pronto pa...
Oferecido de empréstimo entre detalheSão detalhe n...
Calabote ter sido erradicado (pois se fosse irradi...
benfica é o lider como a aguea e ...
Este senhor quer tapar o sol com a peneira......ex...
Os portistas Saõ e serao sempre os mesmos m...
Ah caiu o mito porque tu o dizes? Makes sense.
E não vao ficar por aqui... este ano tb ja esta de...
Posts mais comentados
54 comentários
39 comentários
32 comentários
30 comentários
28 comentários
26 comentários
blogs SAPO